Header image

Novos Borey

Postado por Fabricio Gustavo Dillenburg quinta-feira, 31 de maio de 2012 Marcadores: , , , 0 comentários

O Ministério de Defesa Russo e a United Shipbuilding Corporation (USC) assinaram um contrato para a construção de cinco novos submarinos da Classe Borey (Projeto 955), confirmou na segunda-feira o porta-voz da empresa, Alexei Kravchenko. Em 25 de maio, apesar da intervenção do Presidente Vladimir Putin, por desacordos de redação contratual não havia sido possível assinar o documento. Contudo, reuniões entre os membros do Departamento de Defesa, Putin e responsáveis pela empresa levaram à concordância dos termos, apesar de inicialmente ter sido dito pelo fgoverno que os valores envolvidos no contrato seriam renegociados em 2015. Até 2020, a Marinha Russa deve receber pelo menos dez novos submarinos da Classe Borey, dentro da perspectiva de que o fortalecimento do poder marítimo será uma das prioridades da Rússia para a próxima década. Estão reservados cinco trilhões de rublos (U$156 bilhões) para este propósito, totalizando cerca de um quarto do valor a ser investido em equipamento militar até 2020 pelo país.

Eurofighters Italianos

Postado por Fabricio Gustavo Dillenburg Marcadores: , , 0 comentários

A Itália incorporou à sua Força Aérea 62 caças Eurofighter Typhoon. Os novos aviões foram distribuídos entre quatro esquadrilhas, no norte e no sul do país, substituindo 34 caças F-16 arrendados há dez anos dos Estados Unidos. A entrega dos Typhoon começou em 2004, e no total deverão ser entregues 96 unidades. Além deles, a Itália ainda possui cerca de 50 AMX, 16 Panavia Tornado ECR e 55 Tornado IDS. Apesar dos cortes programados para os próximos anos, a compra dos Eurofighter parece não ter sido afetada, mantendo a importância da projeção militar italiana.

Imagem do Dia

Postado por Fabricio Gustavo Dillenburg quarta-feira, 30 de maio de 2012 Marcadores: 0 comentários

A Luger P08 demonstrou que o conceito de uma arma curta com um ciclo de auto-alimentação, ejetando o cartucho usado e introduzindo um novo na câmara para o segundo tiro, era suficientemente eficiente. Apenas alguns anos depois a Colt 1911 A1 deu o fundamental toque de simplicidade e a esperada funcionalidade à arma semi-automática. Mas ainda tinha aspectos técnicos para resolver no desenvolvimento desse tipo de arma. A capacidade do carregador, de 7 ou 8 tiros, não era muito diferente dos revólveres de ação dupla. Contudo, transportar a pistola pronta para tito imediato - diferente do revólver - era muito perigoso. Desenvolveram-se técnicas de armar e alimentar rapidamente a arma, caixas com retenção do cão, mas permanecia o problema de carregar a arma com um cartucho na câmara, pronta para disparo, sem ameaçar a segurança do próprio atirador. A resposta ou solução para este problema foi proporcionado em 1929 pela empresa alemã Carl Walther Waffenfabrik AG com sua “Walther Selstladepistole Modelo PP - Polizei Pistol” e, pouco tempo depois, com uma versão mais curta, a PPK ("Polizei Pistol - Kurtz"). Se tratava de uma pistola pequena e elegante, com cão externo, em que a alimentação se fazia, como em outras armas do tipo, puxando a culatra para trás; soltando-a, introduzia-se a primeira bala na câmara do cano. A inovação da Walther consistia no fato de que, ao baixar a trava de segurança , o cão caía, de modo a não percutir o projétil. Dessa forma, o mecanismo do disparador permitia que o primeiro disparo se fizesse como num revólver: ao se acionar o gatilho, o cão retrocedia e efetuava o disparo. Os disparos seguintes levavam o cão para cima e a arma funcionava em ação simples. Esta função permitiu portar pistolas alimentadas, prontas para disparar, mas sem riscos. Para realizar o primeiro disparo bastava somente apertar o gatilho, o que passou a se chamar de sistema de dupla ação. As pistolas Walther PP y PPK foram fabricada nos calibres: .380, 7,65, 6,35 e .22. Seu modelo foi copiado muitas vezes e em muitos países. Apesar de seus 70 anos de existência, segue sua fabricação com êxito pela Walther, na Alemanha, e nos EUA. Ian Fleming, o autor das novelas de James Bond, dotou seu personagem OO7 de uma PPK como arma regulamentar, imortalizando a pistola. Recentemente, entretanto, os cineastas dotaram James Bond de pistolas mais modernas e vistosas que a Walther PPK. (Fonte: quality.br/Walther)

Hipoxia nos Raptor

Postado por Fabricio Gustavo Dillenburg terça-feira, 29 de maio de 2012 Marcadores: , 0 comentários

Os críticos do F-22 estão surgindo com uma hipótese preocupante: será que os materiais que tornam o Raptor furtivo estão contribuindo para os problemas de tontura e desorientação que alguns pilotos têm sentido no cockpit? Os investigadores da Força Aérea dos EUA (USAF) estão analisando a possibilidade de que substâncias tóxicas estão se infiltrando no fornecimento de ar do piloto. Essa é uma das suas principais teorias. A outra é que simplesmente os pilotos não estão recebendo oxigênio suficiente. Pierre Sprey, que esteve fortemente envolvido no projeto do caça F-16 e tem sido crítico quanto ao F-22, nota que existem muitas fontes possíveis de vapores tóxicos num jato como o Raptor, tais como fluido hidráulico ou de plástico superaquecidos. Sua crença de que os revestimentos furtivos desempenham um papel nessa causa baseia-se nas histórias que parecem exclusivas para o F-22 – a chamada “tosse Raptor” e os sintomas de desorientação que persistem bem depois do término de uma missão. Recentemente, ele delineou as suas opiniões num artigo co-escrito com Dina Rasor, um investigador e escritor que fundou o Bauman & Rasor Group, que ajuda nos processos de denúncia sob a lei federal. Sprey disse que, se esses sintomas são exclusivos para os pilotos do Raptor, talvez o que esteja ligado seja o que é único no Raptor: o material stealth, que contém camadas unidas com adesivos nocivos à saúde. [...] A Força Aérea diz que não há evidência clínica de que o Raptor esteja deixando os pilotos doentes, e tem outras explicações para a persistente tosse e desorientação que, em alguns casos, dura além do fim da missão. Enquanto isso, continua a investigação de 11 casos de hipóxia que ocorreram desde setembro, quando a aeronave retornou para os céus depois de quatro meses de suspensão nos voos. Os incidentes anteriores de hipóxia haviam causado a suspensão dos voos de toda frota de caças Raptor, e a Força Aérea decidiu liberar os voos novamente sem determinar a causa raiz do problema, embora tenha definido medidas de segurança adicionais e a promessa de monitorar a condição dos pilotos. (Clipping - Fonte: Cavok)

Mais Armas para Venezuela

Postado por Fabricio Gustavo Dillenburg Marcadores: , , , 0 comentários

A televisão estatal venezuelana divulgou, através de uma aparição ao vivo do presidente Hugo Chávez (na imagem), que um novo carregamento de equipamento russo chegará ao país em pouco tempo. O presidente assegurou que o material bélico é para defesa, unicamente, mas em 2011 a Venezuela foi o país que mais adquiriu equipamento militar da Rússia nas Américas, de acordo com o diretor do Centro Internacional de Análise do Comércio de Armas, Igor Korótchenko. Cinco navios carregados já chegaram ao país em abril deste ano, transportando blindados, lançadores de foguetes, armas antiaéreas, além de uma grande quantidade de munições de diversos calibres. Vinte e cinco caças SU-30MK2B foram adquiridos há pouco tempo, bem como helicópteros, o que gerou uma série de contartos de manutenção e transferência tecnológica. A Venezuela pretende construir um centro de manutenção completo para os helicópteros russos, visando atender toda a demanda da América Latina.

Imagem do Dia

Postado por Fabricio Gustavo Dillenburg segunda-feira, 28 de maio de 2012 Marcadores: , , 0 comentários

Projetado na década de 80 com base no sistema de artilharia rebocado G-5, o G-6 foi durante muito tempo um dos mais sofisticados e eficientes sistemas de artilharia autopropulsada em operação em situações reais de conflito. O G-6 é um casamento entre o grande alcance do canhão G-5 e um sistema de locomoção capaz de percorrer longas distâncias em alta velocidade, quer em terreno irregular quer em estrada. Ao colocar um canhão de 155mm numa plataforma sobre rodas, normalmente vista como um meio menos eficaz devido à estabilidade, os sul-africanos tentaram criar uma arma que pudesse ser deslocada com rapidez e operar em regime de incursões rápidas, retirando-se com agilidade após o ataque, graças a sua excepcional velocidade. Concebido para combater na savana africana, em áreas com terra seca e dura, o G-6 acabou por deixar para trás qualquer receio que havia com a questão da estabilidade, pois os engenheiros colocaram sapatas hidráulicas que são baixadas automaticamente sempre que o equipamento é preparado para disparar. O sistema é considerado um dos melhores produtos de artilharia autopropulsada do mundo. Na prática, em termos de alcance efetivo, o único equipamento que pode contestar o G-6 é o PzH 2000 alemão, e os sistemas soviéticos e americanos não se igualam em agilidade e alcance, na mesma categoria. Mas, apesar de a desvantagem do sistema de propulsão 6x6 não ser notada em terrenos desérticos e na Savana africana, o mesmo não ocorre em cenário onde houver terreno pantanoso ou acidentado; nessas áreas, o G-6 tem pouca mobilidade e não pode competir com sistemas baseados em lagartas. Na imagem, um G-6 dos Emirados Árabes.

Crise Espanhola

Postado por Fabricio Gustavo Dillenburg domingo, 27 de maio de 2012 Marcadores: , 0 comentários

Com o brutal problema econômico que afundou a Espanha em uma crise sem precedentes, o Ministro da Defesa do país comunicou que provavelmente o porta-aviões "Príncipe de Astúrias" não terá como ser mantido na ativa pela Marinha. A ideia seria colocar o porta-aviões para "hibernar" (preparando seus sistemas e retirando tudo que possa causar danos enquanto o navio estiver parado), ou mesmo dar baixa do navio aeródromo. No final de sua vida útil, o "Príncipe de Astúrias" poderia receber uma ampla modernização, mas os custos são absolutamente proibitivos. Os compromissos que a Espanha teria assumido, em auxílio à guerra do Afeganistão, talvez não poderão ser mantidos também, simplesmente porque não há dinheiro. Cortes estão sendo feitos em diversos projetos, civis e militares, por todo o país. Isso poderá acabar com a capacidade espanhola de projetar-se estrategicamente.

MiG-29K/KUB Indianos

Postado por Fabricio Gustavo Dillenburg Marcadores: , 0 comentários

A Índia incorporou à sua Marinha de Guerra quinze caças embarcados russos MiG-29K/KUB, comprados em 2004. Os caças serão empregados no porta-aviões Vikramaditya (antes denominado "Almirante Gorshkov", comprado da Rússia). O navio entrará em serviço em dezembro de 2012, de acordo com o planejado. A compra resultou num negócio de 650 milhões de dólares, envolvendo a modernização do porta-aviões e dezesseis caças. Em 2010, mais 29 caças MiG-29K (geração 4++) foram adquiridos, com sistemas eletrônicos de ponta, características Stealth, grande capacidade de combustível e armamento pesado. O aparelho conta com canhão interno de 30mm e, além de avançado radar, o MiG-29K/KUB é equipado com um poderoso sensor infravermelho OLS-UEM (optiko-Lokatsionnaya Stantsiya) que detecta de forma passiva, pela radiação infravermelha, um avião inimigo a 45 km em rota de fuga (quadrante traseiro), 15 km contra um alvo vindo de frente, e permite manter o radar em modo passivo, dificultando para o inimigo sua identificação, sem prejudicar a monitoração da posição do adversário.

Imagem do Dia

Postado por Fabricio Gustavo Dillenburg sábado, 26 de maio de 2012 Marcadores: , , 0 comentários

Entre todos os inumeráveis recursos do impressionante arsenal norte-americano, as bombas destruidoras de abrigos fortificados ganharam notabilidade no início da caçada à Osama Bin Laden, no Afeganistão. A GBU-28 "Bunker Buster" é uma bomba especial, desenvolvida para atingir abrigos localizados no subsolo. A arma é constituída por um tubo equipado com um sistema de orientação a laser, igual ao utilizado na GBU-27. Este sistema foi especialmente pensado para destruir bunkers inimigos - nomeadamente iraquianos -, durante a primeira guerra do golfo em 1991. Alegadamente o projétil pode perfurar até seis metros de concreto reforçado, ou mais de 30 metros de areia compactada. A arma é utilizada com uma ogiva BLU-113 especialmente preparada, e tem uma probabilidade de erro de cerca de nove metros. O nome atribuído ao dispositivo - "PAVE" - significa "Precision Avionics Vectoring Equipment", relacionado à versão produzida pela Raytheon de bombas guiadas por laser.

Falsificação Chinesa

Postado por Fabricio Gustavo Dillenburg sexta-feira, 25 de maio de 2012 Marcadores: , , 0 comentários

Um grande número de aparelhos eletrônicos chineses falsificados está sendo usado em equipamentos militares americanos. A informação foi divulgada em um relatório do Senado americano. O documento trata de uma investigação realizada ao longo de um ano. Durante esse período, o Comitê do Senado das Forças Armadas descobriu que um total de 1.800 peças falsificadas foram usadas em aeronaves militares americanas. Das mais de 1 milhão de peças tidas como suspeitas, cerca de 70% teriam vindo da China, de acordo com o relatório. O problema foi atribuído às limitações da rede de abastecimento de peças existente nos Estados Unidos e ao fracasso chinês em conter seu mercado ilegal. Segundo o comitê, a falha em uma peça importante pode ocasionar riscos e ameaçar a segurança nacional americana, e, além disso, acarretar custos elevados para o Departamento de Defesa. O documento afirma que os militares americanos dependem de uma série de ”pequenos e incrivelmente sofisticados componentes” encontrados em sistemas de visão noturna, rádios e aparelhos de GPS. A falha de uma única peça poderia colocar um soldado em risco, disse o relatório. O comitê do Senado afirmou ainda que peças falsas foram achadas em helicópteros SH-60B utilizados pela Marinha, em aviões de carga C-130J e C-27J e no avião Poseidon P-8A da Marinha. Depois da China, as maiores fontes de peças falsificadas para aviões militares são a Grã-Bretanha, segundo o documento. O comitê fez críticas à China por fracassar em conter fabricantes de peças ilegais. Os senadores disseram ainda que a China não concedeu vistos para os políticos do comitê que pretendiam realizar investigações no país. (Clipping - Fonte: BBC/Poder Aéreo)

Projeto 11356

Postado por Fabricio Gustavo Dillenburg Marcadores: , 0 comentários

A Rússia iniciará a construção de sua segunda série de fragatas ainda este ano, declarou o porta-voz do estaleiro Yantar, de Kaliningrado, Serguei Mijáilov. Três novos navios deverão ser construídos, conforme acordo firmado com o Ministério da Defesa. Outras três já estão em construção, fechando o pedido referente ao Projeto 11356. A primeira fragata, cuja quilha foi batida em 2010, foi batizada de "Almirante Grigoróvich"; a segunda, "Almirante Essen", foi iniciada em julho de 2011 e em fevereiro de 2012 começou a construção nda terceira, "Almirante Makárov". A primeira série deverá entrar em serviço em 2014, com um amplo espectro de capacitação, destinada a combater submarinos e navios de superfície, escoltar comboios e eliminar ameaças aéreas.

Imagem do Dia

Postado por Fabricio Gustavo Dillenburg quinta-feira, 24 de maio de 2012 Marcadores: , 0 comentários

Os mísseis SA-13 (designação americana) foram desenvolvidos na década de 70 e apresentados num desfile realizado pelas forças soviéticas estacionadas na Alemanha Oriental, na primavera de 1980. Trata-se de um substituto do sistema SA-9 "Gaskin", montado sobre chassi BRDM-2 (4x4), empregado na proporção de dezesseis sistemas para cada divisão de infantaria motorizada e blindada. O SA-13 é montado sobre o chassi de um MT-LB (veículo multioperacional sobre lagartas) e carrega quatro mísseis em posição de disparo, acondicionados em lançadores semelhantes aos dos SA-9. É há, ainda, uma versão do SA-13 equipada com seis lançadores. Entre as duas rampas de mísseis encontra-se um radar de busca. O sistema possui, também, detectores de emissão de radar passivo. O rastreador do míssil opera em duas faixas de freqüência, o que proporciona maior segurança em relação às contramedidas infravermelhas e aos simuladores incandescentes, lançados por aviões e helicópteros. A altitude de combate varia de um mínimo de 50 m a um máximo de 10.000 m, com raio de ação de 8.000 m. O sistema SA-13 não dispõe de dispositivos de recarregamento rápido, apesar do espaço existente no interior do veículo, onde seria possível transportar pelo menos um carregamento completo de mísseis.

HMS Talent nas Falklands

Postado por Fabricio Gustavo Dillenburg quarta-feira, 23 de maio de 2012 Marcadores: , , , 0 comentários

Londres enviou às Malvinas o submarino nuclear HMS Talent, um caçador-matador armado com mísseis Tomahawk e torpedos Pearfish. O submersível deixou a Inglaterra no sábado, e a tensão pode vir a se agravar com o movimento britânico. Por outro lado, também pode fazer com que o discurso oco e vergonhoso do governo argentino acabe. O HMS Talent entou em serviço na Royal Navy em 1988 e, embora os seus limites sejam secretos, sabe-se que atinge 32 nóis sob a água e pode submergir pelo manos até 300 metros de profundidade. Segundo o presidente da comissão de Relações Exteriores do Senado argentino, Daniel Filmus, afirmou que, caso esse fato se confirme, o Reino Unido violaria todos os acordos da Zona de Paz do Atlântico Sul, entre elas resoluções da Assembleia Nacional das Nações Unidas. “A atitude da Defesa britânica é uma provocação não apenas para a Argentina, como para todos os países da região e do Atlântico Sul”, afirmou. De fato, está mais do que na hora da Argentina parar de bancar a vítima e encerrar suas provocações.

Exercícios Rússia-Ucrânia

Postado por Fabricio Gustavo Dillenburg Marcadores: , , 0 comentários

Rússia e Ucrânia iniociaram ontem os exercícios navais conjuntos "Farvater Mira 2012", nos quais simulam ações humanitárias. Os exercícios acontecem em Sevastopol (Ucrânia), e servirão também para a simulação de resgate de tripulações de submarinos acidentados, de acordo com o Capitão Viacheslav Trujachov, porta-voz da Frota Russa do Mar Negro. Deverão particpar dos exercícios onze navios civis e militares, seis aviões e helicópteros, veículos blindados e um destacamento médico, até o dia 25 de maio.

Imagem do Dia

Postado por Fabricio Gustavo Dillenburg terça-feira, 22 de maio de 2012 Marcadores: , , 0 comentários

Com a eclosão da Guerra Civil Americana, a Remington passou a produzir armas de serviço de grande calibre, cuja demanda continuou bastante alta após a guerra - especialmente de revólveres - com a conquista do Oeste. Esses revólveres eram armas de percussão; a popularidade do cartucho metálico, que contém simultaneamente a espoleta, a pólvora e o projétil, cresceu muito com a guerra. Terminado o conflito, a Smith & Wesson detinha o monopólio dessas armas em virtude da posse da patente do tambor de retrocarga, desenvolvido por Rollin White. Mas, quando esta expirou, o campo estava aberto. O primeiro revólver de cartucho metálico da Remington, de 1875 diferia muito pouco da antiga arma de percussão (o modelo 1863). As principais diferenças mecânicas eram o tambor de retrocarga, a tampa de carga e a vareta ejetora do tipo Colt, funcionando dentro da manga. O típico cabo em forma de cunha do modelo mais antigo tornou-se, naturalmente, desnecessário; foi substituído, então, por uma barra de dimensões bastante semelhantes, mantendo assim sua silhueta inalterada. O guarda-mato passou a ser de aço, e a empunhadura recebeu um anel para prender o fiador. As Remington eram armas de excelente qualidade: resistentes, bem-feitas e precisas. Contudo, em geral os Colt eram considerados superiores. Em 1891 surgiu uma nova versão, mas em 1894 a Remington voltou à sua antiga especialidade: as armas longas, em cuja fabricação se destaca, ainda hoje, como atestam muitos fuzis modernos. Na imagem, um Remington 1858.

Chega o T-50

Postado por Fabricio Gustavo Dillenburg segunda-feira, 21 de maio de 2012 Marcadores: , 0 comentários

O Exército russo receberá no próximo ano um lote experimental de caças de quinta geração T-50, informou o assessor do Ministro da Defesa e até pouco tempo comandante da Força Aérea da Rússia, coronel Alexandr Zelin. Ele afirmou, em uma conferência organizada na cidade de Voronezh, em ocasião do 100º aniversário da Força Aérea da Rússia, que o projeto do T-50 avança de acordo com o planejado. A Rússia passou a produzir o caça de quinta geração no início da década de 90 e, atualmente, realiza o projeto em cooperação com a Índia. O primeiro protótipo do T-50 levantou voo em janeiro de 2010. (Clipping - Fonte: Diário da Rússia/Poder Aéreo). Novas perspectivas, novos aviões, nova tecnologia, novos desafios. E o Brasil continua emperrado na inércia governamental...

Substituição do SU-25SM

Postado por Fabricio Gustavo Dillenburg Marcadores: , 0 comentários

A Força Aérea russa vai começar a receber novos aviões de ataque ao solo baseados nas aeronaves de combate Sukhoi Su-25SM Frogfoot até 2020, disse nessa quinta-feira o coronel general Alexander Zelin. “Este novo tipo de uma aeronave de ataque ao solo foi incluído no programa estatal de aquisição de armas”, disse Zelin, que é um assessor do ministro da Defesa, durante uma entrevista coletiva em Voronezh (região central da Rússia). “Ele vai ser colocado em serviço na Força Aérea em 2020.” A nova aeronave será capaz de transportar uma vasta gama de armas táticas e possui um radar e equipamentos de navegação avançados. Ele contará com elementos de tecnologia stealth e será capaz de pousar em pistas curtas. O novo jato de combate irá substituir o avião de ataque Su-25SM modernizado (na imagem), que agora está entrando em serviço. A Rússia vai continuar a modernizar as antigas versões do Su-25SM, que tem uma capacidade de sobrevivência e uma eficácia de combate significativamente melhor do que as versões anteriores. A Força Aérea da Rússia atualmente tem mais de 30 jatos Su-25SM em serviço e pretende modernizar cerca de 80 Su-25s até 2020. Enquanto isso, os militares russos abandonaram os planos para desenvolver um avião de ataque leve com base no treinador de combate Yak-130. Zelin disse que o protótipo, batizado de Yak-131, não havia cumprido os requisitos de proteção avançada dos pilotos. (Clipping - Fonte: Fonte: RIA Novosti/Cavok)

Imagem do Dia

Postado por Fabricio Gustavo Dillenburg domingo, 20 de maio de 2012 Marcadores: , , , 0 comentários

Simo Häyhä serviu um ano no serviço militar obrigatório e, em seguida, saiu do exército e se tornou agricultor. Mas, quando a União Soviética invadiu o país, em 1939, ele tratou de retomar as armas. Dado que a maioria dos combates ocorriam em florestas, ele acreditou que a melhor maneira de combater a invasão seria pegar seu fuzil, algumas latas de comida e ficar o dia inteiro escondido numa árvore atirando nos russos. Isso, com seis metros de neve, e entre 20 e 40 graus abaixo de zero. O estrago provocado por sua atuação fez com que Häyhä passasse a ser chamado de "A Morte Branca" por causa de sua camuflagem. E, mais interessante, ele não possuía mira de longo alcance: utilizava apenas a mira padrão do fuzil. Dando um tiro por posição e se movimentando em seguida, espalhou o pânico entre os inimigos. Os russos passaram a persegui-lo, mas o finlandês eliminou dois grupos que foram enviados para caçá-lo, matando todos os agressores. Ao longo de três meses Häyhä matou 542 pessoas, e tirou pelo menos outras 150 de combate. Seu escore de alvos eliminados chega a 705. Para acabar com a ameaça, os soviéticos partiram para o bombardeio de todos os lugares nos quais o franco-atirador poderia estar. Supostamente, eles acabaram por obter informações sobre sua localização, e ele realmente foi atingido por estilhaços, mas sobreviveu e voltou à ação. Finalmente, em 6 de março de 1940, ele foi atingido por um tiro na cabeça. Quando os soldados finlandeses o encontraram, ele "tinha um pedaço de sua cabeça faltando", a mandíbula estraçalhada pelo projétil. Levado à base, os médicos conseguiram mantê-lo vivo, e ele recuperou a consciência no dia em que a guerra da Finlândia terminou. Simo morreu em 2002, com quase cem anos, de causas naturais. Ele disse que jamais se arrependeu do que fez. Pelo contrário, afirmava que cumpriu as ordens e protegeu seu país da melhor maneira possível.

Recuperação da Izhmash?

Postado por Fabricio Gustavo Dillenburg sábado, 19 de maio de 2012 Marcadores: , 0 comentários

Notícias sobre a empresa Izhmash, maior fabricante de armas leves da Rússia, e mentora do famoso fuzil de assalto AK-47 Kalashnikov, mostram um planejamento acelerado para tentar reverter a calamitosa situação de falência na qual a empresa se meteu. Até o ano passado, a dívida acumulada chegava a mais de meio bilhão de dólares, sem muitas esperanças de reversão. Contudo, com base na estratégia de recuperação da General Motors, norte-americana, os executivos russos acreditam que podem salvá-la do desastre total, criando uma nova empresa com os ativos saudáveis que ainda restaram da entidade falida. A Izhmash se livraria de todas as frações "ruins" da empresa, aproveitando até o último centavo de um investimento emergencial obtido, de 70 milhões de dólares, para realizar a reengenharia das fábricas, modernizando-as, e tornando mais enxutas suas estruturas de venda e suporte. Com a ajuda do governo e fundo próprios conseguidos pelas vendas de segmentos da empresa, os executivos acreditam que a lendária produtora do AK-47 poderá se manter, retornando aos seus lucros e inserindo-se numa economia saudável. A intenção para 2013 é desenvolver dez novos produtos de grande volume de vendas para o mercado de armas leves, e ampliar sua participação nos mercados latino-americanos e asiáticos. Uma de suas mais ousadas pretensões é penetrar no mercado norte-americano, cuja demanda é imensa para armas portáteis e corresponde à metade dos produtos disponíveis no catálogo da empresa. No entanto, do ponto de vista governamental russo, a situação é complicada. O Ministério da Defesa não compra o Kalashnikov em grandes quantidades há mais de 15 anos. Afirmações extra-oficiais dão conta de que os estoques acumulados do armamento nas fábricas e nos depósitos de armas do Ministério da Defesa são grandes o suficiente para armar diversos exércitos com as mesmas dimensões do russo. De fácil manejo, o AK-47 não requer treinamentos prolongados, razão pela qual é muito popular em países africanos, asiáticos e latino-americanos, preferida por unidades paramilitares.

Contratos Fiat Iveco

Postado por Fabricio Gustavo Dillenburg Marcadores: , , , 0 comentários

Os sapadores britânicos receberão 182 caminhões Trakker 6x6 e 24 Trakker 8x8, no maior pedido de caminhões militares já fechados pela Fiat Iveco. Cinco variantes serão construídas, três modelos pela própria Iveco e dois pela ALC. Um segundo contrato realizado entre as forças inglesas e a empresa italiana produzirá caminhões protegidos por cabines de aço e grades antibalísticas. Além das duas empresas citadas, participarão da integração de equipamentos as companhias GD (R.U.), Terex Atlas, Thompson Engineering, BI Engineering e KraussMaffei Wegmann. A Iveco recentemente fechou outros contratos importantes com a França, Suiça, Alemanha e Espanha, e negocia com as forças militares norueguesas e suecas a venda de uma nova frota para substituiir seus veículos obsoletos. Além dos caminhões completos, a empresa negociou um grande númerto de chassis com a Turquia, formando uma grande rede de alianças industriais em termos globais. O caminhão Iveco é montado nas plantas em Madri, Espanmha, o que contribui para aliviar a alta taxa de desemprego existente hoje no país. (Fonte: Sergio Arocha)

Imagem do Dia

Postado por Fabricio Gustavo Dillenburg sexta-feira, 18 de maio de 2012 Marcadores: , 0 comentários

Em 1908, no estaleiro W. C. Armstrong Whitworth & Company, na Inglaterra, era lançado o encouraçado Minas Geraes. Seu impacto, nos círculos navais da época, foi compatível com suas quase vinte mil toneladas de deslocamento padrão e seus 12 canhões de 12 polegadas. Cogitou-se na Europa que a encomenda brasileira era um subterfúgio para posterior transferência a uma outra marinha. Jornais britânicos especulavam que o destinatário real seria a Alemanha. Por sua vez, jornais alemães cogitavam que talvez o navio seria secretamente transferido à Royal Navy. A verdade é que, menos de dois anos depois, em 17 de abril de 1910 (e exatamente 3 anos após o batimento de sua quilha), o então mais poderoso encouraçado do mundo adentrava a Baía da Guanabara, para o início de 44 anos de serviço na Marinha do Brasil. Contudo, o navio não esteve plenamente operacional por diversos períodos de sua existência na Marinha o Brasil. Afinal, o Plano Naval que objetivou a encomenda de uma completa esquadra para a Marinha, nova em folha, não previa as instalações adequadas para sua manutenção. Só nos anos 20 a discussão sobre a industrialização do país iniciou um processo que levaria, décadas depois, a se atingir uma capacidade industrial compatível com a manutenção de belonaves modernas. Quando esse tempo chegou, o nome Minas Geraes já mudara para Minas Gerais, e batizava um outro navio. Mas o Minas Geraes mostrou, há 100 anos, que era possível ao Brasil do café e da industrialização incipiente adquirir uma esquadra compatível com suas pretensões geopolíticas de então, cristalizadas na figura do Barão do Rio Branco, e que não eram modestas. O histórico navio chegou a participar da Revolta da Chibata. Modernizado entre 1935 e 1942, foi desincorporado em 1953 e, posteriormente, desmontado. (Fonte: Poder Naval/British Naval Files/Acervo Pessoal)

Cortes na Itália

Postado por Fabricio Gustavo Dillenburg quinta-feira, 17 de maio de 2012 Marcadores: 0 comentários

A Itália vai reduzir os efetivos do Exército para arrecadar três milhões de euros. Serão trinta mil militares a menos nas fileiras, desmobilização que deverá economizar a quantia em cerca de dois anos. O Ministro de Defesa do país, Giampaolo Di Paola, manifestou que a o projeto de reforma militar é "de grande escala", reduzindo os efetivos militares italianos para 150.000 homens até 2024. Além disso, trinta porcento das bases e propriedades militares no país devem ser vendidas nos próximos seis anos. Almirantes e generais serão os primeiros a sofrerem com o plano, sendo desmobilizados um em cada três nos próximos seis anos e mais vinte porcento em dez anos. Os cortes se estendem à aquisição de material bélico, incluindo a redução da quantidade de F-35 de 131 unidades para 90, além da desmobilização de navios, artilharia, veículos e blindados.

Centauro Russo

Postado por Fabricio Gustavo Dillenburg Marcadores: , , , 0 comentários

A Rússia iniciou uma série de testes para produzir localmente o veículo blindado italiano Centauro, através de licenciamento. Foi o que informou o porta-voz da empresa Oto Melara, que fabrica o veículo, juntamente com a Fiat Iveco. Dois blindados, com canhões de 105 e 125mm já estão na Rússia, e estão sendo utilizados para ensaios e avaliações, próximo a Moscou. Mais exemplares devem chegar nas próximas semanas, visando verificar sistemas de tiro e desempenho em todo tipo de terreno. Caso haja aprovação, a Rússia deve estabelecer um contrato de produção, provavelmente nas f´pabricas de Kamaz, no Tartaristão. A Itália possui hoje cerca de 400 Centauro, blindado de oito rodas e 24 toneladas, que é guarnecido por quatro tripulantes e pode chegar aos 110km/h. Duas metralahadoras complementam o armamento principal. É uma grande ironia o fato de que um dos maiores fabricantes de blindados do mundo esteja, hoje, negociando licenças para produzir veículos capazes.

Imagem do Dia

Postado por Fabricio Gustavo Dillenburg quarta-feira, 16 de maio de 2012 Marcadores: , , , 0 comentários

Voando em um jato Messerschmitt 262 (primeiro avião a jato a ser operacional), em 9 de abril de 1945, Hans Guido Mutke pode ter se tornado a primeira pessoa a romper a barreira do som, enquanto sobrevoava a Áustria. Hans Guido Mutke, piloto e ginecologista, nasceu em Neisse, Alemanha, em 25 de março de 1921. Casado e pai de dois filhos, morreu em Munique no dia 08 de abril de 2004. Na tentativa de ajudar um piloto e colega que estava sob fogo Aliado, Hans mergulhou seu Me-262 de tal maneira, que perdeu o controle do caça. O jato começou a vibrar violentamente, e isso fez com que os controles parassem de funcionar. Quando Hans recuperou o comando, o velocímetro estava travado a 1.100 km/h. Embora Hans tenha salvo seu companheiro, sua atitude de Hans poderia ter lhe custado o lugar na Luftwaffe, uma vez que os pilotos tinham ordens para não exceder a velocidade de 950 km/h. Se tudo o que foi relatado acima for comprovado, conforme recentes pesquisas, Mutke foi o primeiro piloto a romper a barreira do som, dois anos antes do piloto americano, Major George Welch. O norte-americano conseguiu o feito em 1º de setembro de 1947, quando pilotava o avião experimental Bell X-1 que mais se parecia com um foguete, nas cercanias da atual base aérea de Edwards, na Califórnia. 

Mutke entrou na Luftwaffe quando ainda era estudante de medicina, e passou três anos como piloto de reconhecimento noturno, procurando e monitorando bombardeiros Aliados que sobrevoavam os céus da Alemanha. Assumiu, então, um posto na aviação de caça. Depois da guerra, ele serviu como médico da reserva da Força Aérea Alemã. Em 1957, seu Me-262 foi doado ao Deutsches Museum que fica em Munique pelas autoridades suíças, onde permanece exposto para o público. Somente em 1989 que Mutke se deu conta que tinha rompido a barreira do som, durante uma conferência entre especialistas em Munique. A conferência celebrava o 50º aniversário do primeiro vôo a jato. Mutke morreu durante uma cirurgia cardíaca, em Munique, e doou seu corpo para Gunther von Hagens, um controverso artista que usa em exposições corpos humanos e órgãos reais.

F-35 STOVL

Postado por Fabricio Gustavo Dillenburg terça-feira, 15 de maio de 2012 Marcadores: , , , 0 comentários

A Grã-Bretanha decidiu adquirir o F-35 de decolagem curta e pouso vertical (STOVL), para equipar pelo menos um de seus novos porta-aviões da Classe Queen Elizabeth. A experiência britânica poderá servir como referência para que outras forças militares adquiram o mesmo vetor, entre elas a Espanha, que também deve renovar sua frota nos próximos anos (atualmente, utiliza os Harrier). As discussões sobre a versão a ser comprada pela Royal Navy giravam em torno de adquirir o caça STOVL ou instalar catapultas e sistemas de pouso no novo porta-aviões de 65.000 toneladas. Análises iniciais de custos colocaram em xeque a compra do caça, mas refeitos os cálculos, o vetor STOVL acabou sendo a melhor opção. Reprojetar o navio resultaria em valores acima do suportado pela marinha inglesa. Fica, contudo a questão da capacidade do próprio avião: a Grã-Bretanha escolheu a versão não por ser a mais capaz, aparentemente, mas pelo valor envolvido. De qualquer forma, reprojetar e construir os navios com novos sistemas de lançamento e aterrissagem atrasaria em pelo menos cinco anos sua entrada em operação, o que seria inviável, mormente o desmantelamento da marinha britânico ser visível, apesar de algumas novas unidades estarem sendo adicionadas.

Novos Treinadores Indianos

Postado por Fabricio Gustavo Dillenburg Marcadores: , , 0 comentários

A Índia acertou a compra de 75 aviões de treinamento Pilatus PC-7MK II, fabricados na Suiça, por U$560 milhões de dólares, sendo que a negociação foi aprovada diretamente pelo Primeiro-Ministro Manmohan Singh, que lidera também o Comitê de Segurança nacional. Concorrendo com as indústrias KAIU, sul-coreanas, os suiços apresentaram uma melhor proposta para substituir os obsoletos HPT-32 Deepak. Esses aviões chegaram numa situação tão crítica que seus voos foram suspensos em 2009. A Índia possui 35 aviões de treinamento Hawk 132 e deve ainda adquirir mais 17 exemplares do modelo, pelo menos, para complementar sua força. No inventário, há também 161 aviões de treinamento HJT-16 Kiran.

Imagem do Dia

Postado por Fabricio Gustavo Dillenburg segunda-feira, 14 de maio de 2012 Marcadores: 0 comentários

A Double Tap Pocket Pistol ("Hedy Jane") foi desenvolvida pela empresa americana Heizer Defense e, segundo a fabricante, é a menor pistola de calibre .45 do mundo. A arma, que pesa cerca de 400 gramas e tem 5/8 de polegada de espessura, carrega duas balas de cada vez e pode levar mais duas de reserva na sua base. O equipamento é oferecido em duas versões diferentes. Uma é fabricada em alumínio e custa US$500, e o segunda, mais luxuosa, é construída em titânio. O valor fica na casa dos US$730. Trata-se de uma pistola tática, que também pode ser comprada no calibre 9mm, produzida com tecnologia de ponta, e que apesar do tamanho oferece - de acordo com seus projetistas - recuo bastante reduzido. Ambidestra desde seu desenho inicial, pode ser facilmente escondida, possui canos intercambiáveis e um projeto inspirado na famosa Colt 1911. Não se deixe enganar pelo tamanho. O calibre .45 tem um poder de parada extraordinário.

Spartan para a Austrália

Postado por Fabricio Gustavo Dillenburg domingo, 13 de maio de 2012 Marcadores: , , 0 comentários

Enquanto o Brasil afunda em equipamento obsoleto, e no descaso do governo, países sérios empenham-se em renovar sua estrutura. Agora é a vez do Ministério da Defesa da Austrália, que adquiriu dez aviões táticos C-27J Spartan, fabricados pela empresa italiana Alenia Aermacchi, num contrato de 800 milhões de euros, incluindo pacote de serviços de manutenção.  Os primeiros exemplares devem ser entregues em 2015, substituindo aviões que operam, hoje, com mais de 40 anos anos de uso (idade dos aviões brasileiros de reabastecimento, os famosos "sucatões"). Visando interoperacionalidade, a aviônica dos novos aparelhos será semelhante a dos C-13 e a dos C-17 hoje ativos na Royal Australian Air Force. Preparado para decolar em pistas despreparadas, de menos de 500 metros, o C-27J pode transportar um peso máximo de cerca de trinta toneladas, ou sessenta soldados equipados, ou ainda, 46 paraquedistas.

Ameaça Israelense

Postado por Fabricio Gustavo Dillenburg Marcadores: , , 0 comentários

As forças de reserva israelenses foram mobilizadas, num total de seis batalhões, esta semana. Outros dezesseis batalhões foram colocados em prontidão. O risoc paraece estar nas fronteiras com aSíria e o Egito, de acordo com as palavras de Dan Harel, Chefe Adjunto do Estado Maior israelense. Desde janeiro, as patrulhas policiais de Israel já forma atacadas mais de 50 vezes por palestinos no Sinai, e a área foi considerada fora de controle no que diz respito à segurança. Esta semana a imprensa israelense deixou claro em suas abordagens que, do ponto de vista militar, o Egito é mais perigoso do que o Irã. Mas, claro, isso pode ser apenas para despistar as verdadeiras intenções do país.

Imagem do Dia

Postado por Fabricio Gustavo Dillenburg sábado, 12 de maio de 2012 Marcadores: , , 0 comentários

Um cartão postal enviado por Adolf Hitler durante a Primeira Guerra Mundial, enquanto ele se recuperava de um ferimento, foi descoberto durante um projeto de história europeia, em Munique, na Alemanha. "Eu achei difícil de acreditar que, em um evento local, para registrar histórias de pessoas comuns, eu estava vendo um documento inédito escrito por Hitler de próprio punho", disse Stuart Lee, da Universidade de Oxford, que trabalhava como consultor para o projeto Europeana 1914-1918, que promove feiras interativas sobre História com o intuito de preservar a memória do período. No cartão de 1916, Hitler, então com 27 anos, escreve para um companheiro de regimento, Karl Lanzhammer, e conta que está passando por um tratamento dentário. Ele diz que quer voltar ao front, algo, que segundo especialistas, seria extremamente incomum nesse estágio da guerra, mesmo entre os mais patrióticos.(...) Thomas Weber, especialista da Universidade de Aberdeen sobre Hitler durante a Primeira Guerra, diz que todas as outras cartas conhecidas de Hitler nesta época também foram enviadas a soldados de seu regimento. Isso indica, segundo ele, que Hitler via seus companheiros de guerra como uma espécie de família adotiva. "Todos os outros soldados estariam escrevendo para casa." No cartão recém-descoberto, Hitler diz que irá requisitar sua volta voluntária "ao campo [de batalha] imediatamente". Weber diz que isso revela uma necessidade de voltar "à rede social mais próxima" que ele conheceu desde a morte de sua mãe. O documento também contém um erro de ortografia na palavra alemã para "imediatamente", escrita como "soffort" em vez de "sofort". Os especialistas dizem que é extremamente raro descobrir novas informações sobre o jovem Hitler, porque quando estava no poder ele destruiu sistematicamente muitos documentos sobre outros momentos de sua vida. O homem que recebeu o cartão postal morreu em 1918, mas a correspondência acabou nas mãos de um colecionador, cujo filho levou o cartão à feira do projeto Europeana, em Munique. Depois de ser autenticado por especialistas e digitalizado, o cartão foi devolvido aos donos. (Clipping - Fonte: Folhha de São Paulo. Nosso obrigado a Denise Kleine pela sugestão de post)

Compra Australiana Atrasada

Postado por Fabricio Gustavo Dillenburg sexta-feira, 11 de maio de 2012 Marcadores: , , 0 comentários

A Austrália vai atrasar a aquisição de 12 aeronaves Lockheed Martin F-35A por dois anos para reduzir os custos associados com o programa. A decisão de compra das 12 aeronaves será feita em 2014-2015, ao invés deste ano, disse o Ministro da Defesa Stephen Smith. Canberra tem apenas o compromisso de dois caças F-35As, que serão entregues nos EUA e utilizados treinamento de tripulações de voo e de solo. Os planos são para compra de adicionais 12 aeronaves sob o Projeto Air 6000 Fase 2A, e de 58 subsequentes sob a Fase 2B. Os relatórios sugerem que a Austrália espera economizar US$ 1,64 bilhão ao atrasar a compra. Smith disse que o movimento reflete uma decisão dos EUA no início deste ano para atrasar a aquisição de 150 aeronaves F-35s. “Quando embarcamos no projeto fizemos algumas coisas muito sensatas; em primeiro lugar escolhemos o Joint Strike Fighter convencional, e em segundo lugar colocamos uma boa quantidade de preparação nos nossos custos e no nosso cronograma”, disse Smith. “No calendário queremos ter a certeza de que não vamos criar uma lacuna de capacidade. Vamos tomar essa decisão formalmente até o final deste ano em termos da capacidade, mas meu conselho atual é que a vida de nossos 71 caças F-18 Hornets clássicos e nossos 24 Super Hornet é suficiente para a nossa capacidade de combate aéreo, mas vamos fazer um julgamento aconselhado antes do final deste ano.” A Boeing espera vender caças F/A-18E/F Super Hornets adicionais para Canberra. A Austrália já tem 24 Super Hornets, que adquiriu para preencher uma lacuna devido a atrasos de capacidade do programa F-35, e Smith sempre afirmou que adicionais Super Hornets são uma opção. O atraso na aquisição por parte de Canberra só aumenta as preocupações de custos associados com o F-35. Japão, Noruega e Canadá manifestaram preocupações sobre o custo do programa. (clipping - FOnte: Flightglobal/Cavok)

Imagem do Dia

Postado por Fabricio Gustavo Dillenburg quinta-feira, 10 de maio de 2012 Marcadores: , , , 0 comentários

A história do excepcional FAL começou perto de 1946, quando a FN começou a desenvolver um novo fuzil de assalto. Usando o cartucho intermediário alemão 7,92X33mm, o projeto foi liderado pela equipe de Dieudonne Saive, que ao mesmo tempo trabalhou no fuzil SAFN-49. Ambos, por isso, são mecanicamente bem semelhantes. Posteriormente, houve modificações na munição, sob influência inglesa. O FN FAL (Fabrique Nationale, Fusil Automatique Léger – Fábrica Nacional, Fuzil Automático Ligeiro) é uma arma concebida e produzida originalmente pela empresa belga Fabrique Nationale em Helstal. É considerada uma ótima arma, muitas vezes comparada em confiabilidade e resistência aos fuzis russos da série AK. O FAL é visto como superior aos famosos M-16A1 e A2 e AR-15 (munição civil, 223 Remington), no que diz respeito à robustez, muito embora a sua munição (7.62mm) não atenda as atuais necessidades do soldado de infantaria, já que o dano causado ao inimigo é excessivo. Atualmente existe uma tendência mundial para a adoção de calibres menores como o 5,56 mm dos EUA ou o 5,45 mm russo, porque essas munições tendem apenas a ferir o inimigo (que provavelmente necessitará de pelo menos outros dois combatentes para tirá-lo da área de combate. Assim, serão três inimigos sem condições de combater - atingido com 5.56mm -, em vez de apenas um - se atingido com calibre 7.62mm). O FAL foi projetado e fabricado com objetivo de equipar o soldado com uma arma segura e simples, de manutenção e operação fáceis. Este fuzil é capaz de suportar as condições mais adversas (chuva, sol, lama, água etc), necessitando menos manutenção do que os fuzis da série M norte-americanos (M-16, M4A1 etc).

O FN FAL, no Brasil chamado Fuzil automático Leve ou Fuzil de Assalto Ligeiro, é fabricado integralmente pela estatal IMBEL. No Exército Brasileiro, ele recebe a nomeclatura de Fz 7,62 M964 (também conhecido como MD-2). A IMBEL fabrica também o Para-FAL, que é usado por polícias militares, paraquedistas militares e outras forças especiais, devido à sua maior leveza e melhor portabilidade. Também fabrica um modelo em calibre 22 adaptado ao FAL, para treinamento militar. Utilizado por polícias militares de quase todo o Brasil, o FAL é visto com frequência nas incursões do BOPE no Rio de Janeiro, em sua maioria na versão com coronha rebatível. Nas imagem, é possível comparar uma versão moderna do FAL (em cima, um SA-58 da DSA Inc.) com um FAL padrão (embaixo).

Novo MBT Chinês

Postado por Fabricio Gustavo Dillenburg quarta-feira, 9 de maio de 2012 Marcadores: , , , 0 comentários

A empresa chinesa NORINCO (North Industries Corporation) apresentou o seu novo MBT (Main Battle Tank) VT-2 (também conhecido como Type 96A MBT), baseado no tanque sino-paquistanês MBT-2000. Apresentando por um modelo em escala na DSA 2012, ainda não há informações se algum país demostrou interesse em comprar o novo tanque. Segundo o fabricante, a capacidade de sobrevivência no campo de batalha está garantido pelo design compacto, baixa silhueta, uma blindagem composta avançada e ERA. Além disso, no VT-2 pode ser montada uma metralhadora controlada remotamente,  sistema de controle de fogo com estabilização de imagem, câmera de infravermelho e telêmetro a laser, são equipamentos padrão para VT2 MBT. O tanque pode ser usado em condições climáticas adversas dia e noite. O VT-2 será armado com um canhão de 125 mm, estabilizado em dois planos, e um carregador automático, o modelo pode ser equipado por um motor V12 turbo-charged diesel de 800 ou 1500 cavalos, de transmissão manual ou automática. Na imagem, um MBT VT1A.

Polêmica F/A-XX

Postado por Fabricio Gustavo Dillenburg Marcadores: , , 0 comentários

Um alto oficial do Departamento de Defesa dos EUA está questionando a forma como a Marinha dos EUA vai financiar uma substituição de última geração para o F/A-18E/F Super Hornet da Boeing. Enquanto isso, oficiais aposentados do Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA dizem que o nascente esforço F/A-XX da Marinha dos EUA (na imagem) demonstra a falta de compromisso do serviço com a versão embarcada em porta-aviões do Lockheed Martin F-35 Joint Strike Fighter (JSF). A Marinha dos EUA emitiu um pedido de informações (RFI) para um novo caça F/A-XX que iria começar a substituir o Super Hornet em 2030 – efetivamente iniciando a busca da aeronave sucessora. A Marinha dos EUA disse que o F-35C substituirá os anteriores caças Boeing F/A-18 do modelo A ao modelo D, mas não o maior Super Hornet. Mas como a Marinha dos EUA espera custear um novo programa de caça tático, dada a atual situação fiscal dos EUA, é uma questão em aberto. (...) Um problema maior é que a Marinha dos EUA está trabalhando no esforço F/A-XX por si só. Nem mesmo o Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA, com a qual a força de caças táticos da Marinha dos EUA está integrada, teve qualquer participação no F/A-XX. Mas o Departamento de Defesa ordenou que os serviços financiem os osforços de pesquisa e desenvolvimento sempre que possível, a fim de preservar a futura base industrial dos EUA. (...) O aposentado dos Fuzileiros Navais, Tenente General Emerson Gardner, um ex-vice-diretor do Escritório de Avaliação de Custos e Avaliação de Programas (CAPE) do Pentágono, disse que há muitas razões para ser cético sobre a capacidade da Marinha dos EUA de financiar o F/A-XX. (...) A Marinha dos EUA simplesmente não tem o dinheiro para pagar um F/A-XX. Com os orçamentos apertados de construção naval da Marinha dos EUA, Gardner diz que as contas da aviação naval provavelmente vai acabar sendo invadida para ajudar a pagar os submarinos e navios de superfície. (...) O Tenente-General George Trautman (ex-vice-comandante da aviação do Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA) diz que a Marinha dos EUA poderia tornar-se mais favorável para operar o F-35C, uma vez que os primeiros aviadores da frota tenham uma chance de voar o jato. “O que eu prevejo que acontecerá é que quando o F-35C começar a voar, eles vão se apaixonar por ele”, diz ele. “Eles vão perceber que é muito melhor do que o Super Hornet, e que eles vão querer mais deles.” (Clipping - Fonte: Flightglobal /Cavok)

Imagem do Dia

Postado por Fabricio Gustavo Dillenburg terça-feira, 8 de maio de 2012 Marcadores: , , 0 comentários

No dia 30 de março de 2012, na região de Amur, Extremo Oriente da Rússia, o Major do Exército Russo, Sergei Solnechnikovu (na imagem) sacrificou a sua vida para salvar seus soldados, ao cobrir uma granada com seu próprio corpo. Por um erro, uma granada de um dos soldados atingiu o parapeito na frente da vala e caiu aos pés dos militares. Solnechnikovu, de 31 anos, agiu de imediato: cobriu o explosivo com seu corpo salvando a vida de muitos camaradas. Seus colegas viram sua morte como uma tragédia pessoal, mas alguns disseram que consideram difícil se recuperarem emocionalmente depois do incidente. Muitos soldados requisitaram assistência psicológica. Um outro oficial, que foi atingido pelos estilhaços da granada, foi levado para o hospital e submetido a uma operação que durou mais de uma hora, mas as feridas acabaram sendo fatais. Foi aberta uma investigação contra o soldado que supostamente lançou a granada. Se o caso for levado a juízo, e for comprovada negligência, o militar poderá pegar 5 anos de prisão. Contudo, ele não quer esperar o resultado da investigação: Maxim Zhuravlev, de 19 anos está seguro de sua responsabilidade nas mortes de seus companheiros e não quer viver com esse fado. Atualmente uma comissão do Ministério da Defesa estuda as circunstâncias da tragédia que provocou a morte do comando do batalhão. No dia 4 de abril, Solnechnikovu foi condecorado postumamente com a Ordem de Herói da Federação Russa, a condecoração mais alta nos dias de hoje naquele país. “Por heroísmo, valentia e espirito de sacrifício demonstrado em um ato de serviço”, foram os motivos da condecoração, informou a administração do presidente Dmitri Medvedev.

Mais Demissões na Rússia

Postado por Fabricio Gustavo Dillenburg segunda-feira, 7 de maio de 2012 Marcadores: , 0 comentários

O presidente da Rússia Dmitry Medvedev retirou o Comandante da Marinha russa, Almirante Vladiminir Vysotsky (na imagem), apontando para seu lugar o Vice-Almirante Viktor Chirkov, comandante da Frota do Báltico, com 52 anos. Novamente, não foram dadas muitas explicações sobre a demissão, mas o comandante demitido, com 57 anos, talvez se enquadre no processo natural de aposentadorias russas, que acontece por volta dos 60 anos. Vysotsky estava no comando há cerca de cinco anos. A prioridade do novo chefe da Marinha é a construção de belonaves mais modernas e poderosas para a frota russa.

Submarinos para Israel

Postado por Fabricio Gustavo Dillenburg Marcadores: , , , 0 comentários

Uma cerimônia oficial incorporou às forças israelenses um novo submarino, na quinta-feira, dia 03. A introdução do submarino Tanin (aligator), construído na Alemanha, deu a Israel a capacidade de transportar armas nucleares sob a água, colocando seu poder de dissuasão em outro patamar. Trata-se do quarto submarino dessa classe a fazer parte da Israeli Defense Forces (IDF), num contrato de mais de meio bilhão de dólares (um terço subsidiado pela Alemanha). O submarino Tanin deve estar em serviço definitivo em 2013, após cumprir uma bateria de testes em alto-mar, e um quinto da mesma classe deve ser comissionado em 2014. Em 2017, um sexto deve ser incorporado, com base em um contrato assinado em março deste ano. Sobre a questão de Israel possuir ou não armas nucleares, fica a incógnita, embora isso seja muito mais do que uma mera probabilidade.

Lanchas Colombianas

Postado por Fabricio Gustavo Dillenburg Marcadores: , , 0 comentários

O Brasil comprará da Colômbia quatro lanchas de patrulha fluvial, anunciou em Bogotá o ministro brasileiro da Defesa, Celso Amorim, em uma iniciativa considerada importante para uma aliança regional de segurança. “Quero confirmar a decisão do Brasil sobre a aquisição de lanchas fluviais colombianas para o Exército e a Marinha. Provavelmente quatro até o final do ano, com a perspectiva de mais algumas no futuro”, disse Celso Amorim em entrevista ao lado do seu homólogo colombiano, Juan Carlos Pinzón. Pinzón estimou que a venda constitui “um sinal da política de integração em matéria de defesa e segurança”. Amorim passou por Bogotá a caminho de Cartagena, onde assistirá à reunião de ministros da Defesa, Interior e Relações Exteriores da União das Nações Sul-Americanas (Unasul). O ministro explicou que a compra faz parte do projeto para adquirir material bélico dentro da região: “Não é uma compra ocasional, é um exemplo prático de algo que estamos dizendo. Que queremos construir uma base para a indústria de defesa sul-americana. Cada país entrará com suas possibilidades (…). Porque buscar na Europa, nos Estados Unidos ou em qualquer outro lugar quando podemos comprar aqui”? “O importante é ter esta visão, de que podemos adquirir aqui na região. Não é apenas uma razão econômica, comercial, é também uma visão estratégica de longo prazo”. Celso Amorim anunciou ainda que o Brasil está interessado em construir com a Colômbia um navio de patrulha para a Amazônia, cujo projeto deve se tornar realidade até dezembro de 2014. (Clipping - Fonte: AFP)

Outro Ataque Polêmico

Postado por Fabricio Gustavo Dillenburg domingo, 6 de maio de 2012 Marcadores: , , , 0 comentários

Mais um problema diplomático envolvendo drones de ataque. Num episódio que piora as relações entre Paquistão e Estados Unidos, um UAV norte-americano executou no dia 05 um novo ataque sobre o Waziristão do Norte, o segundo em menos de uma semana, e dessa vez matou 10 pessoas. A rede de televisão privada Geo News noticiou que o aparelho disparou dois mísseis sobre uma casa na região tribal de Darai Nashtar, enquanto outros quatro patrulhavam a zona, deixando os aldeões aterrorizados. A identidade dos mortos não foi estabelecida. Washington alegou que o lugar era ponto habitual de reuniões dos talibãs e reportou as mortes como sendo de quatro deles, mas fontes anônimas dos serviços de inteligência paquistaneses revelaram ao jornal The Nation que na verdade as vítimas tinham sido quatro garotas. Em seguida ao ataque norte-americano, um atacante suicida fez detonar um colete repleto de explosivos quando se aproximava de um ponto de controle numa zona comercial de Khar Bazaar, também no Waziristão do Norte. A explosão causou a morte de 16 pessoas e feriu quase meia centena. Entre os mortos contaram-se oito membros da polícia local. O fim dos ataques de drones é uma das exigências do Parlamento paquistanês para normalizar os vínculos com Washington, em crise desde que, em 26 de novembro aviões da OTAN bombardearam dois postos de controle na fronteira com o Afeganistão e mataram 24 de seus defensores.

Imagem do Dia

Postado por Fabricio Gustavo Dillenburg Marcadores: , , 0 comentários

Duas agências governamentais alemãs estão em conflito sobre o destino de um gigantesco bunker para submarinos na cidade portuária de Bremen, que deve ser alugado para uso comercial. O bunker “Valentin”, de 426 metros de comprimento e 33 metros de altura, foi construído com mão-de-obra forçada de milhares de pessoas entre 1943 e 1945. O governo alemão quer agora alugar partes da estrutura para uso comercial. Contudo, de acordo com Georg Skalecki, diretor do Escritório de Preservação de Monumentos Históricos, isso envolveria a destruição de paredes e cercas, danificando seriamente a fachada do prédio. “Não seríamos mais capazes de perceber a dimensão do trabalho total”, disse ele. “Você precisa de caminhar por todo o bunker para apreciar”. O edifício foi utilizado como depósito pelas forças armadas alemãs até 2011. Quando seu controle foi passado para outra agência governamental, contudo, foi decidido alugar o hall central e também um prédio anexo de três andares. Skalecki impetrou judicialmente um pedido de paralisação dessas ações. O governo alemão também está investindo 3,8 milhões de euros num memorial de exibição permanente no bunker Valentin. Espera-se que esteja terminado em 2015. O complexo foi aberto para turistas em maio de 2011. Este, que é o segundo maior bunker da Segunda Guerra Mundial acima do solo na Europa, foi originalmente idealizado como um abrigo para construção de submarinos em Bremen, e teria se tornado a maior fábrica fortificada do mundo. Mas em março de 1945, quando o bunker estava perto da conclusão – já tendo usado 1,2 milhões de toneladas de concreto e aço – bombas inglesas abriram grandes buracos nas paredes. O teto de 4,5 metros de espessura ainda não havia sido reforçado o suficiente para aguentar as bombas, e a liderança nazista foi forçada a abandonar a construção. De qualquer maneira, nesse estágio da guerra a Alemanha não estava mais em condições de iniciar uma nova produção em massa de submarinos. (Clipping - Fonte: Sala de Guerra)

Invasão pela Bolívia?!!

Postado por Fabricio Gustavo Dillenburg sábado, 5 de maio de 2012 Marcadores: , 1 comentários

Na fronteira com o Brasil, militares bolivianos atacaram povoados brasileiros. O governo aguarda uma resposta formal do governo de Evo Morales, depois que as acusações foram feitas oficialmente, apontando os soldados bolivianos como mentores da morte de gado, incêndios, destruição de plantações e da evacuação forçada dos cidadãos brasileiros das áreas de Pando e Acre. Os problemas se iniciaram em 2006, quando Morales decretou que os 50km de terras fronteiriças não poderiam ser ocupadas por estrangeiros. Os brasileiros que possuíam terras no Brasil e na Bolívia receberam um ultimato de La Paz para abandonarem o território boliviano, o que viola diretamente um protocolo assinado entre os países, no qual a desocupação deveria acontecer até 31 de dezembro deste ano. As tropas bolivianas chegaram á cidade de Capixaba, no Acre, na qual desfilaram armadas pelas ruas. Já haviam sido registrados casos de invasão do território brasileiro por tropas policiais bolivianas armadas, mas nada havia sido feito a propósito. (Fonte: defensa.com/Folha de São Paulo/Tecnologia Militar) Agora (sim, agora, porque até então não havia disposição para tanto, como sempre acontece...) foram enviados efetivos para controlar a fronteira brasileira. Mas Certamente Morales não precisa se preocupar. Dentro de trinta ou sessenta dias já devem ter sido retiradas, ninguém mais vai se lembrar (exceto os que prejudicados diretamente) e tudo vai ficar de novo jogado às moscas, como é de praxe. Depois de encampar a Petrobrás, e avançar sobre empresas espanholas, não é de se esperar nada diferente desses governos demagógicos de falsa-esquerda. Que fique a lição. Mais uma. E a nossa soberania, já era. Foi-se, política abaixo.

YAL-1 Reativado?

Postado por Fabricio Gustavo Dillenburg Marcadores: , , 0 comentários

O programa de mísseis da Coreia do Norte parece estar se movendo para trás, com seu mais recente lançamento fracassando mais cedo do que o seu teste de 2009. No entanto, os republicanos ainda querem em vôo um canhão laser para destruir os mísseis balísticos e parar as “ameaças” de Pyongyang. Em fevereiro, a Agência de Defesa Anti-Mísseis anunciou o vôo de teste final da Aeronave com Laser Embarcado (ABL – Airborne Laser), um 747 equipado com um canhão de laser que se tornou um símbolo de desperdício de armamentos do Pentágono. Apesar de 16 anos e bilhões de dólares em desenvolvimento, o jato não pode de forma confiável explodir um míssil nos ensaios. E mesmo que tenha feito o trabalho, o sistema iria custar 92.000 dólares por hora para voar, e teria que ser usado apenas sobre no local do míssil para fazer a sua detonação. Assim, o jato foi finalmente mandado ao cemitério de aviões da Força Aérea no Arizona, onde ele iria se juntar a milhares de outras aeronaves militares que os EUA não querem ou precisam. Ou pelo menos, esse era o plano. Agora o painel de Forças Estratégicas do Comitê das Forças Armadas do Senado está dizendo: não tão rápido. Na sua definição do orçamento do Pentágono para 2013, a subcomissão está solicitando que o chefe da Agência de Defesa de Mísseis repasse “os custos envolvidos com o retorno da aeronave com laser embarcado para um estado de prontidão operacional” para que ela possa continuar a ser testada, e com isso poderia “estar pronta para ser implantada, numa contingência operacional, se necessário, para responder a ameaças rapidamente em desenvolvimento da República Popular Democrática da Coreia.” (Clipping - Fonte: Danger Room [Wired]/Cavok) Leia sobre a desativação clicando aqui.

Hawker Beechcraft Falida

Postado por Fabricio Gustavo Dillenburg sexta-feira, 4 de maio de 2012 Marcadores: , 0 comentários

A Hawker Beechcraft está nos estágios finais da preparação de um pedido de falência – um depósito que poderia ocorrer no mais tardar nessa quinta-feira (dia 3), de acordo com um relatório do Wall Street Journal. O relatório, que cita fontes não identificadas próximas ao assunto, diz que a Hawker chegou a um acordo de reestruturação da dívida com seus credores e, em breve entregará a propriedade para “vários fundos de cobertura” após dar entrada no Chapter 11. Rumores de falência já giravam em torno da conturbada fabricante de aeronaves baseada em Wichita há meses. A Hawker reconheceu em seu recente relatório anual com a U.S. Securities and Exchange Commission (SEC) que a falência era uma opção que estava sendo considerada. A empresa, no mês passado entregou cerca de 350 anúncios de demissões e também solicitou a SEC para não registrar seus títulos. (Clipping - Fonte: Wichita Business Journal/Cavok) Na imagem, um Texan II.

Imagem do Dia

Postado por Fabricio Gustavo Dillenburg Marcadores: , 0 comentários

A Kawasaki C-1 é um transportador militar de curto alcance utilizado pelas forças armadas japonesas. Seu desenvolvimento começou em 1966 para substituir os antigos C-46 da Segunga Guerra Mundial. Sua produção começou em 1971. Em 1966, a frota de transporte aéreo japonesa era composta principalmente pelos Curtiss C-46 Commando, construídos em grande número antes do fim da Segunda Guerra Mundial. Embora relativamente capaz para a época, o C-46 era muito ultrapassado se comparado com modelos mais recentes, como o Lockheed C-130 Hercules. A política japonesa na época para equipamentos militares era rigorosa e e eles não poderiam desenvolver capacidade ofensiva e por isso a distância máxima foi cortada de modo a manter a aeronave dentro da faixa operacional do Japão. Isto mostrou ser um problema depois que Okinawa foi devolvida ao Japão pelos americanos, e as aeronaves tinham dificuldade para chegar à ilha a partir de áreas distantes. Por isso, e outras razões técnicas, a produção foi encerrado e os C-130 foram gradualmente introduzidos em seu lugar. O C-1 possuía pesos vazio/máximo de 23.320 kg/45.000 kg, e utilizava dois motores Pratt & Whitney JT8D-M-9, com empuxo de 6.577 kg cada. Alcançava uma velocidade máxima de 806 km/h e seu alcance era de 1.300 km.

Yinchuan Descomissionado

Postado por Fabricio Gustavo Dillenburg quinta-feira, 3 de maio de 2012 Marcadores: , 0 comentários

O DDG 107 Yinchuan (na imagem), destróier chinês, foi descomissionado em abril, logo após a retirada de seu navio-irmão Nanjing. Depois de mais de 36 anos de carreira, a China vem descomissionando uma série de velhos barcos de guerra, substituindo-os por cascos mais eficientes em desempenho e, sobretudo, em tecnologia. A retirada desses navios obsoletos faz parte do processo de renovação geral das forças militares chinesas, e  o lugar até então ocupado por eles será dado, provavelmente, a exemplares dos tipos 051C (Shenyang) e 052C (Lanzhou). Uma nova classe está sendo desenvolvida, mas a indústria chinesa parece estar tendo problemas para deixar plenamente funcionais as turbinas a gás que equiparão esses novos projetos. Sistemas a diesel têm sido usados como substitutos, por enquanto. Navios russos fora de linha também têm sido adquiridos, provavelmente para análise tecnológica e - claro - cópia (e eventuais melhoramentos).

Imagem do Dia

Postado por Fabricio Gustavo Dillenburg quarta-feira, 2 de maio de 2012 Marcadores: , , , , 0 comentários

Arquivos secretos mostram que o governo brasileiro alertou os EUA que não aceitaria que tropas britânicas atacassem a região continental da Argentina durante a Guerra das Malvinas. O documento inédito narra dois encontros em maio de 1982 entre os então presidentes do Brasil, general João Baptista Figueiredo, e dos EUA, Ronald Reagan, além do secretário de Estado dos EUA, Alexander Haig. O documento pertence ao acervo do Conselho de Segurança Nacional, guardado no Arquivo Nacional, em Brasília, e tem a rara classificação de "ultrassecreto". Na primeira conversa, no dia 11 de maio, na Blair House - a casa de hóspede oficial do presidente dos EUA -, Figueiredo encontra-se apenas com Haig, numa preparação para a reunião presidencial, dois dias depois, com Reagan. Tanto ele quanto Haig lamentam que a disputa pelas Malvinas - que os britânicos chamam de Falklands - tenha se tornado um conflito militar e tentam operar como moderadores. Mas Figueiredo avisa que as consequências poderiam ser muito piores se os britânicos terminassem por combater em solo continental, em vez de apenas no Arquipélago das Malvinas. O general brasileiro dá a entender que essa situação não seria aceita na América do Sul e o Brasil poderia até mesmo se posicionar militarmente ao lado dos vizinhos. 

Segundo o documento, ao término do encontro, Haig perguntou a Figueiredo se "haveria algo que pudesse dizer ao presidente Ronald Reagan" como preparação para o encontro do dia seguinte. Segundo o relato do arquivo, "o presidente Figueiredo, em resposta, disse que só tinha uma preocupação, qual seja a do fato consumado de que a Inglaterra promova ação no continente, o que teria repercussões desastrosas na América do Sul". O documento deixa claro que "o presidente Figueiredo assinalou a necessidade de que essa hipótese seja evitada a todo custo". O receio brasileiro era que um ataque desse tipo, representando invasão de território sul-americano por um país europeu, provocasse forte reação popular contrária. Segundo o relato do encontro, feito pela inteligência do Exército brasileiro, o presidente Figueiredo afirmou que, para o Brasil, "a situação é extremamente penosa". "Pois não se pode avaliar até que ponto se pode conter a opinião pública. Se ocorrer o pior, a solidariedade americana certamente eclodirá", cita o texto. "Que a Inglaterra não chegue a esse ponto, pois seria muito delicado", diz o documento. o mesmo encontro, Haig e Figueiredo falam abertamente sobre o risco de a União Soviética aproveitar-se do conflito para aumentar sua margem de influência em relação aos argentinos. O governo brasileiro temia que os soviéticos ajudassem a Argentina com seu programa nuclear, fornecendo urânio enriquecido. Na conversa, o presidente brasileiro afirma que seu medo era que o governo argentino caísse "nas mãos dos peronistas, como aliados dos comunistas, que dele posteriormente tomariam conta". Para Figueiredo, essa combinação poderia provocar o aparecimento no sul do continente de "uma Cuba muito maior". (Fonte: Estadão)

Força Militar Robótica

Postado por Fabricio Gustavo Dillenburg terça-feira, 1 de maio de 2012 Marcadores: , 0 comentários

O Exército norte-americano planeja ter, em 2030, uma força armada cibernética, mas controlada por seres humanos. A ideia é que os robôs passem a assumir as tarefas mais violentas, reduzindo a atual crise social e econômica que atinge os quadros militares dos EUA, e que se reflete diretamente no grande índice de suicídios entre veteranos de guerra. É o que afirma Lorenzo Topete, chefe do Movimento Latino EUA, complementando que "as forças armadas norte-americanas querem lidar menos com a psiquê humana e todas as consequências da guerra e sua destruição". Acredita-se que entre 40% e 50% da população dos EUA use, hoje, algum tipo de antidepressivo, o que configura uma grave situação clínica. Para cada soldado morto no Iraque, cerca de 25 veteranos cometem suicídio (uns 6.500, todos os anos). A cada dia e meio morre um soldado em conflitos nos quais os país está envolvido, e a cada 80 minutos há um suicídio de um veterano. (Fonte: Actualidad/Sergio Arocha) Interessante é o fato de que um dos projetos que envolvem a construção desse exército de robôs, apresentado por uma companhia de Maryland (EUA), pressupõe que as máquinas poderiam utilizar material orgânico como combustível, o que poderia derivar, em última instância, na utilização dos restos dos próprios corpos dos inimigos abatidos como base para seu funcionamento.